domingo, 24 de março de 2013

New kitten on the block

Sempre adorei gatos. E desde mocinha vivia um pouco frustrada por nunca ter podido manter um.
Até que, depois de casada e com minha casa montada, eu e meu marido decidimos adotar a Chloe. 
Para nós, foi uma decisão e tanto e curtimos cada momento da adaptação dela à nossa casa. 

Algumas vezes, comentei no blog que pensava na possibilidade de adotar mais um gatinho (leia aqui e aqui) e recebi opiniões das pessoas que frequentam o blog de que poderia ser uma boa opção. Mas eu, como toda mineirinha, sou desconfiada, pé atrás, e penso 10.000.000 vezes antes de agir. Resultado: a decisão nunca foi tomada. 

Depois que voltei a trabalhar fora, comecei a pensar com mais frequência no assunto, dado que a Chloe passou a ficar o dia todo sozinha. Era ruim vê-la tão solitária e querendo atenção quando tudo o que eu desejava, depois de um dia de trabalho, era banho, comida e cama! Enquanto isso, fui a feiras de adoção e conheci alguns filhotes para ir amadurecendo a ideia (vide a reação colateral da Chloe ao cheiro deles). 

Até que recebi a notícia de que haviam abandonado, 6 filhotes (2 de três meses e 4 de dois meses) e uma mãezinha de uns 10 meses perto da minha casa, em um local onde outros gatos são tratados por voluntários da minha vizinhança (para relembrar a estória, clique aqui). Sábado, levantei de manhã e fui até lá. Encontrei com a "meninada", brincando e correndo entre as árvores e os arbustos. A mamãe gata veio ao meu encontro: muito dócil, pedindo carinho, e muito magrinha. Meu coração ficou partido. Fiquei ali por uns 30 minutos. Levei barbantes e bolinha de papel alumínio e resolvi dar um pouco de atenção a eles. Todos foram anunciados para adoção ou lar temporário urgente (pois estão ao relento e expostos na rua) mas, até o momento, não haviam conseguido ninguém para abrigá-los. Chamei meu marido para mostrar os gatinhos. Ficamos, nós dois, ali, observando e pensando... pensando... corações apertados... e resolvemos que iríamos dar uma chance a pelo menos um deles. Assim, decidimos adotar mais um gatinho! 

Pegamos a caixinha de transporte e o recolhemos para ir direto ao veterinário. Primeiros cuidados tomados, o levamos para casa e o deixamos isolado da Chloe, uma vez que ela já foi testada para FIV/FELV e ele ainda aguarda o resultado do exame PCR que faz um "scan" em possíveis vírus e doenças antes dos sintomas se manifestarem. Montamos caminha, potes de comida e caixinha de areia (que nós nem precisamos ensinar a ele como funcionava, rs) na nossa varanda com acesso ao quarto de estudos, caso ele sinta frio e queira entrar. A Chloe, por enquanto, só sente o cheiro e o vê pela porta de vidro da sala. Isso é o suficiente para desencadear muitos fuzzzz e patadas (inclusive em nós). Estamos dando bastante atenção para ela nessa fase pois queremos muito que a adoção dê certo e que ela aceite o novo morador. 

Há muitos animaizinhos espalhados por aí. Alguns em lares temporários, outros em gatis, e outros, menos afortunados, deixados ao relento... Se você pode, e deseja ter um bichinho de estimação, procure primeiro por estes e dê-lhes a chance de serem adotados. Talvez aquele companheiro que você tanto queria está mais perto do que você imaginava. E você nem precisa desembolsar uma fortuna para isso... 

Para quem é do Rio, ainda há 5 gatinhos e uma gata mãezinha, vivendo na rua, sob sol e chuva, esperando uma chance. Visite a página deles no Facebook . Divulguem! Vamos ajudá-los a encontrar um lar temporário ou definitivo! Foi de cortar o coração vê-los tão lindos e espertos deixados à própria sorte! 


E, finalmente, em primeira mão, apresento a vocês nosso novo amiguinho! 
Ele ainda não tem nome definitivo, portanto, aceito sugestões! 
Mas, atenção! Os níveis de fofurice são extremamente altosAssista com moderação! =^..^=

Primeira foto: tirando um cochilo enquanto espera a vez no veterinário

Ufa! Tô cansado! Fizeram coisas impronunciáveis comigo no veterinário...

Ei! Quem é você, moça?

Não tô vendo minha mamãe gata daqui

O que é essa coisa preta apontada pra mim? 

Oi! Subi aqui sozinho!!!

Essa mesa é muito divertida! Tem várias coisas legais nela!

Mas tô ficando com soninho... hoje o dia foi cheio!

Vou dormir aqui nesses papéis...
(colocamos um bichinho de pelúcia para fazer companhia para ele)






terça-feira, 12 de março de 2013

Dia de veterinário

Gatos precisam ir periodicamente ao veterinário. As visitas devem ser, no mínimo, anuais para que seja possível fazer um "check-up" geral, atualizar a vacinação e o vermífugo. Hoje, foi a vez da Chloe passar pelo processo.

Fiquei feliz em saber que o estado de saúde dela é perfeito e, ao mesmo tempo, um pouco triste em ver como ela reagiu à consulta... Ela ficou, simplesmente, a-pa-vo-ra-da! 
Para começar, foi um desafio retirá-la da caixa de transporte. Ao colocá-la em cima da mesa, ela fez muitos fuzzz para a veterinária e tentou mordê-la algumas vezes. A veterinária (que diga-se de passagem é ótima e super paciente) ficou fazendo carinho para tentar acalmá-la. Parecia estar funcionando até que a cadeira da veterinária arrastou no chão, fazendo um som característico, e a gatupira soltou um grito de pavor que assustou todos dentro da sala. Ela estava muito, muito assustada! :(

Para fazer os exames, cortar as unhas e tomar o vermífugo, 3 pessoas precisaram segurá-la. Fiquei com muita peninha, por vê-la, assim, tão amedrontada. Ela tremia muito, mas muito mesmo (sabe aquela tremedeira de quando se está ardendo em febre?), e sempre ficava colada na minha barriga entre um manuseio e outro. O coraçãozinho estava disparado no barrigão peludo que eu tanto gosto... 

Estou até agora tentando identificar porque ela ficou tão estressada. A última vez que ela foi ao veterinário foi para ser castrada e, depois, para retirar os pontos. Será que ela ficou traumatizada? Será que guarda alguma lembrança da cirurgia e por isso reagiu assim? Não sei... A veterinária receitou um floral para ser usado durante 2 meses. Vamos fazer em uma farmácia de manipulação e espero que traga mais conforto para a minha pikitita, antes de partir para o Feliway (se for preciso). O post não tem foto porque eu não quis registrar nenhum momento da consulta... :(

Mas... nem tudo foi ruim. Aproveitei para testá-la para FIV e FELV e... o resultado deu negativo!!! 
O exame não é barato mas é muito importante testar os gatos para que, caso sejam positivos, tenham a chance de serem tratados a tempo. 

Aqui, já está tudo sossegado. Chloe está tomando seu banho de língua, para retirar qualquer vestígio de cheiro do consultório. Dei um pouco da ração em sachê que ela tanto gosta! Afinal, ela merece!
"Boa noite, pikitita munchkin. Dorme bonitinha..."

Parabéns, Chloe!



segunda-feira, 11 de março de 2013